• Redação JM

Doação de Arquivo JM 2021 para Saldanha Marinho

Na manhã de sexta- feira (08), a reportagem JM entrevistou Nelson José Pertile, um dos primeiros assinantes desde a fundação do semanário, em 28 de julho de 1980.

Nelson Pertile é casado com Olívia Milanesi Guerra, com quem tem o filho Wiliam José Pertile, além de Alexey e Alexsandro do primeiro casamento. Nelson Pertile tem 68 anos, é agricultor, reside em Esquina Bom Jesus, interior de Saldanha Marinho. Além de se dedicar a sua lavoura, é presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Saldanha Marinho há 12 anos.

Por que assina o JM? Sou leitor assíduo. Acho importante ler e se inteirar das notícias dos municípios e da região. O mais importante é que as notícias são completas, com transparência, imparcialidade e responsabilidade.

Como está sendo a entrega do JM? Recebo o jornal normalmente às sextas-feiras, no trabalho.

“Além disso, é amigo, quando vai para sua residência leva o jornal aos assinantes de Esquina Bom Jesus e Campinas.”

Conteúdo que mais gosta de ler? Gosto de ler o jornal do início ao fim. As piadas são uma das partes interessantes, acho que deveria acrescentar mais, porque descontraem provocando o sorriso nas pessoas, nos dias de hoje é muito importante.

Qual a importância do jornal impresso? Acho, que é original documentado no papel e serve para uso em qualquer comarca da esfera nacional judicial. É um documento completo, pode ser arquivado, guardado por muito tempo e revê-lo quando quiser. Os poderes públicos, empresários e segmentos da sociedade deviam apoiar, valorizar sempre a imprensa do município, especialmente o Jornal Minuano, que faz trabalho sério, imparcial e responsável.

Sou ciente de que, quem assina o JM, além da leitura e informação, ajuda a mantê-lo em circulação, caso contrário, vamos ficar colados no celular e internet, provocando danos à visão, reduzindo o contato pessoal com pessoas e amigos.

Sua opinião sobre as redes sociais? Têm coisas que não são verdadeiras e muito menos confiáveis, além de danificar a visão, deixam as pessoas confusas, por isso não sou fã, mas todos são livres para fazer uso delas como quiserem.

Aceita entregar o arquivo JM à Biblioteca Municipal? Aceito, porque além de ser assinante, sou parceiro e amigo. Fico feliz em ser lembrado para entregar documento importante, que ficará à disposição da comunidade. Também com a certeza de que dei a minha parcela de contribuição para que as futuras gerações possam lembrar da história de Saldanha Marinho. Peço também para quem não é assinante e puder, assine, porque o JM deve continuar circulando. Assim, ganharemos mais um arquivo. Parabéns à direção e colaboradores do JM pelos 42 anos e a excelente ideia de doação do arquivo.

A reportagem JM agradece Nelson José Pertile pela recepção, gentileza e disponibilidade para entrevista.

Entrega de Arquivo JM para Saldanha Marinho

Na manhã de sexta-feira (15), foi entregue pelo assinante Nelson José Pertile à Biblioteca Municipal de Saldanha Marinho, arquivo JM, contendo 49 edições referentes ao ano de 2021.

Participaram da entrega, secretária da Educação Sirlei Aimi e a auxiliar bibliotecária Ediane Barden.

Nelson Pertile se pronunciou, “é um orgulho, uma alegria, uma honra fazer parte da história e ser lembrado pela direção do Jornal Minuano. Considero a ideia de doação excelente, muito importante para a biblioteca e comunidade de Saldanha Marinho. Parabenizo o JM e a direção pelos 42 anos”.

A secretária de Educação Sirlei comentou, “agradeço, parabenizo o JM pelos 42 anos e também pela importância de ter o arquivo na Biblioteca Municipal, porque é um documento que está ao alcance de todos retratando a história de Saldanha Marinho, sendo que as futuras gerações poderão usufruir do excelente trabalho realizado. Obrigado pela bela atitude e continue nos brindando com outros arquivos”.

A direção do JM ressalta que a doação de arquivos só será possível se os saldanha-marinhenses assinarem ou continuarem prestigiando, caso contrário, o jornal impresso no papel desaparecerá, o que é lamentável!

Doação de Arquivo JM 2021 para Santa Bárbara

Na tarde de segunda-feira (11), a reportagem JM entrevistou o casal Sadi, com 78 anos e Lucinda Guerke Schenkel, 72, um dos primeiros assinantes desde a fundação do semanário, em 28 de julho de 1980. São agricultores, têm três filhos, Lorilane, Valdecir e Edenir. O casal reside na Avenida Liberdade, 30, Bairro Tiradentes, Cohab, em Santa Bárbara do Sul.

Por que assinam o JM? Somos leitores assíduos. Achamos que é importante ler, saber as notícias do município e da região. As notícias são mais completas e gostamos de contribuir com empresa séria, que valoriza o cliente com imparcialidade e responsabilidade.

Como está sendo a entrega do JM? Não temos queixa de nada, uma vez que o jornal chega normalmente às sextas-feiras, em nossa residência. Consideramos um visitante de todas as semanas e estamos sempre aguardando sua chegada. Vamos assinar até quando pudermos.

Conteúdo que mais gostam de ler? Gostamos de ler o jornal do início ao fim.

“Uma das partes mais interessantes para Sadi é o esporte porque jogou futebol.”

Qual a importância do jornal impresso? Achamos que é um impresso documentado no papel. Pode ser guardado por muito tempo e também ler quando quiser. Achamos que quem puder assinar devem fazer, porque o jornal é importante e tem que continuar. A sociedade deve apoiar e valorizar sempre a imprensa do município, especialmente o Jornal Minuano que faz trabalho sério e responsável.

Somos cientes de que quem assina o JM, além da leitura e informação ajuda a mantê-lo em circulação, caso contrário, vamos ficar só no celular e internet, provocando estragos na visão e reduzindo o contato pessoal com pessoas e amigos.

Sua opinião sobre as redes sociais? Achamos falta de educação quando as pessoas recebem visita, em vez de conversar, ficam no celular estragando a visão, olhando coisas que não são verdadeiras e muito menos confiáveis. Os filhos conversam muito pouco com os pais, avôs e tios por causa das redes sociais. Elas são importantes, mas não devem ser trocadas pela companhia de uma pessoa.

Aceitam entregar o arquivo JM ao Museu Municipal? Aceitamos, porque além de ser assinantes, também estamos contribuindo para que fique como documento importante da história do município e para as futuras gerações. Ficamos felizes por sermos lembrados para entregar arquivo que ficará à disposição da comunidade.

Parabéns à direção e colaboradores do JM pelos 42 anos e pela excelente ideia de doação do arquivo.

A reportagem JM agradece ao casal, Sadi/Lucinda pela recepção, gentileza e disponibilidade para entrevista.

Entrega de Arquivo JM para Santa Bárbara do Sul

Na manhã de terça-feira (19), foi entregue pelos assinantes Sadi e Lucinda Guerke Schenkel ao Museu Municipal de Santa Bárbara do Sul, arquivo JM, contendo 49 edições referentes ao ano de 2021. Participaram, coordenadora da Cultura e responsável também pela Biblioteca, Janete Pasinato de Sá, e a historiadora responsável pelo Museu, Linara Cristina dos Santos.

Janete, em nome do município, agradeceu o JM pela doação importantíssima porque relata a história de Santa Bárbara do Sul escrita em papel jornal.

“Receber todo o ano neste arquivo do JM é muito útil para o Museu e Biblioteca. É um documento que servirá para pesquisas das futuras gerações. Nosso muito obrigado à direção e colaboradores do JM pelo belo trabalho.”

Lucinda Schenkel se manifestou, “é uma grande conquista para o Museu e um prazer contribuir como assinante para o Jornal Minuano. Também fazer a entrega do arquivo histórico”.

Sadi Schenkel disse, “agradeço à direção e colaboradores do Jornal Minuano, pois estamos felizes por sermos lembrados para entregar um documento tão importante para o Museu e município. Gosto muito do Jornal Minuano porque faz trabalho sério e responsável, por isso faço questão de assinar”.

A direção do JM agradece os convidados e ressalta que a entrega do arquivo deveria ter sido no Museu, mas devido à interdição, foi realizada na empresa.

É compromisso da direção da Gráfica e Editora Minuano Ltda/Jornal Minuano, com os municípios de atuação - Santa Bárbara do Sul e Saldanha Marinho, enquanto o meio de comunicação existir.

Por se tratar de um documento impresso em papel jornal, material reciclável e sensível, o arquivo preferencialmente deve ser armazenado no Museu.

Não deve ser levado para casa, se manuseado somente por extrema necessidade, com acompanhamento do responsável da entidade mencionada.

Obs: É possível que o Jornal Minuano, seja o único meio de comunicação impresso no país, que contribui com 100% de seus serviços aos municípios de atuação.

Tais como, editoração, impressão, encadernação e doação de arquivo com todas as edições impressas durante o ano.