• Redação JM

Municípios e os desafios pós-pandemia!

Um dos grandes desafios nos últimos dois anos enfrentados pelos gestores municipais foi a pandemia da Covid-19. Para tratar sobre como o gestor pode enfrentar o pós-pandemia, além de trazer informações e boas práticas, a Confederação Nacional de Municípios (CNM) trouxe para junto aos gestores municipais a temática governança pós-Covid. A CNM lembrou dos desafios enfrentados no período de pandemia e de todas as vidas perdidas.

A temática foi sobre a implementação de consórcios intermunicipais com a finalidade de promover benefícios locais, como credenciamento de serviços. De acordo com analista técnico em Consórcios Públicos da CNM, a área de saúde é a que mais possui consorciamento. É importante que a região esteja organizada, até porque o consórcio só existe por conta dos municípios. Sendo assim, os consórcios auxiliam a gastar menos nas aquisições, além de ajudar no credenciamento de especialidades nos municípios.

O Previne Brasil é o novo modelo de financiamento disponibilizado aos municípios voltado para a atenção primária. Esta é a porta de entrada para a saúde nos municípios. Ao apresentar panorama comparativo do repasse pelo Previne Brasil, analista técnica em Saúde da CNM reforçou os principais desafios e problemas da nova forma de financiamento. Entre os problemas está a desigualdade nos repasses por parte do governo federal, que ainda persistem. Além disso, municípios de pequeno porte ainda são os que mais perdem.

Ainda sobre a atenção primária à saúde, o diretor do Departamento de Residência Médica da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC) fez explanação sobre a reestruturação das APS. Para isso, é necessária orientação comunitária, vigilância em saúde e educação, que se mostraram altamente necessárias no contexto da pandemia da Covid-19.

O assistente em Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde apresentou projeto aos gestores com o objetivo de fazer o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) acontecer. O Samu é a espinha dorsal dos programas de emergência e das políticas de Saúde do Ministério da Saúde apresentando plataforma que traz os atendimentos realizados pelo serviço, que permite monitorar as áreas da localidade que devem receber mais atenção ou investimentos.

Ressaltou que os municípios precisam fazer a adesão à plataforma, a fim de que consigam desenhar a rede na localidade. A partir da consolidação e da análise das informações, o Ministério da Saúde, por meio da Coordenação- Geral de Urgência, deve elaborar o cronograma de distribuição das ambulâncias.

É importante ressaltar que a pandemia ainda não acabou. Só vamos ficar livres depois que todos estiverem vacinados, então devemos continuar nos cuidando.

No domingo (08), comemoramos o Dia das Mães. Mando abraço com carinho às mães, especialmente as nossas assinantes.

Já na segunda (09), 34 anos de Saldanha Marinho (09/05/1988 - 09/05/2022).

Parabéns aos Saldanha-marinhenses e fundadores. Continuem prosperando para que o JM prossiga escrevendo tua linda história!

Texto: João Sibirino

Adaptação: Jornal Minuano