• Redação JM

Noite nativista beneficente em Saldanha Marinho

Quando nasceu a Confraria Nativista?

Somos apaixonados pela nossa música regional, fãs dos festivais nativistas. Sempre que convidados frequentávamos as confrarias e festivais nativistas da região, fazendo e estreitando cada vez mais amizades por onde passávamos.

Então, em julho de 2018, entre um mate e outro resolvemos organizar a nossa própria Confraria, com uma única regra: todo e qualquer lucro auferido com esse projeto teria destinação beneficente.

No dia 1º de setembro de 2018, tivemos nosso primeiro evento social oficial, tendo como atrações Lisandro Amaral e Lucas Gross. Já na 2ª Confraria, tivemos como atrações Ângelo Franco e Gabriel Selvage. O evento já tinha solidificado a intenção no caminho beneficente dos lucros, destinamos estes ao Hospital Municipal e Asilo Municipal de Saldanha Marinho (RS), respectivamente.

Nos anos de 2020 e 2021, diante da crise pandêmica que assolou o mundo, por óbvio não houve evento. Agora, em 2022, retomamos o projeto. Foi aí que, entre uma conversa e outra tomamos conhecimento real, pessoal do projeto e do trabalho da Apae, não só para com os munícipes de Santa Bárbara do Sul, mas também aos munícipes de Saldanha Marinho. A admiração foi imediata e desta vez comprometemo-nos a destinar à Associação os lucros da 3ª Confraria, o que de fato fizemos.

Qual é o projeto da Confraria Nativista?

Buscamos dividir com nossos amigos e colaboradores evento rico em literatura, musicalidade e poesia gaúcha. E, desta paixão, levantar fundos com caráter e destinação beneficente. Queremos que o evento perpetue tal ideia.

Na 1ª Confraria foram 87 colaboradores. Na 2ª Confraria, 148 colaboradores. Já nesta 3ª Confraria, tivemos a presença de 287 colaboradores. Sabemos da responsabilidade que nos é imposta diante da proporção que o projeto vem atingindo. Esperamos sempre manter a seriedade e o comprometimento com a causa. Transparência e simplicidade.

Sobre a noite festiva de 14 de maio:

A alegria que tivemos de ver amigos e colaboradores felizes, admirados e emocionados com o show, nos incentiva e motiva a seguir em frente. Estamos realizados, nosso objetivo foi alcançado, a riqueza cultural, a cor, o viço, a paisagem, a prenda, o peão, as lidas, os anseios e as façanhas do gaúcho foram todas retratadas. Ou seja, a plena e clara visão da existência gaúcha. Seja através da musicalidade do Quarteto Coração de Potro e do Lisandro Amaral. Seja pela sensibilidade da obra poética sonora ou desenhada de Adriano Silva Alves, estas sob a inconfundível excelência da gaita de Ricardo Comassetto.

Mensagem que deixamos à comunidade, amigos e colaboradores:

Gratidão e alegria são as palavras de ordem!

Gratidão pelo incomensurável apoio da Comunidade Nativista Regional que se fez presente na 3ª Confraria Nativista de Saldanha Marinho. Alegria de poder promover evento essencialmente beneficente.

Evento cultural buscando a simplicidade e a autenticidade dignas da história do Rio Grande do Sul, avalizado por todos os colaboradores diretos e indiretos. Laços foram mantidos. Laços foram firmados. Objetivos foram alcançados com a certeza de que não somos apenas “02 soldados”, como disse o Lisandro Amaral, mas sim, uma legião de amantes da música nativa gaúcha, uns desde sempre, outros tomando cada vez mais gosto pela cultura regional.

A presença de todos tornou a noite maravilhosa. Cada instante lembrado é de inundar as retinas e povoar o coração de emoção!

Nosso eterno agradecimento!

At. te.

Andrei Limberger

Wagner Quadros