• Redação JM

Pós-pandemia, caminho para vencer!

Ainda não vencemos a pandemia, mas estamos no caminho certo para ganharmos a batalha contra o Coronavírus. Com mais pessoas imunizadas contra o vírus a cada dia, os números no Brasil refletem a melhora na crise sanitária que já matou mais de 600 mil brasileiros desde março de 2020.

De acordo com o boletim Monitora Covid, da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), as mortes diárias, segundo a média móvel de sete dias, ficaram, abaixo de 200 pela primeira vez desde abril de 2020. Foram registradas médias de 195 óbitos no sábado, 20 de novembro e 197 no domingo, 21 de novembro. Isso é resultado da vacinação em massa.

Mesmo que algumas poucas pessoas tentem disseminar a teoria de que a vacina não é eficaz, os brasileiros sabem, isso é histórico e comprovado cientificamente, que a vacinação é mais efetiva no controle de doenças infectocontagiosas do que o uso de medicamentos para a cura, além de ser método mais barato para controle da saúde pública.

Com pouco mais de 60% da população totalmente imunizada contra a Covid, o Brasil está acima da média global de imunização, que é de 41%. Na última semana, o país ultrapassou os Estados Unidos, que estagnaram com 58% da população totalmente vacinada. Não podemos fraquejar, aqui no Brasil o pior está passando. Na Europa, a situação volta a ficar preocupante.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) afirma que 500 mil pessoas podem morrer em nova onda da doença no continente europeu se medidas urgentes não forem adotadas. A última vez que o total de mortes por Covid havia ficado abaixo de 200 no país foi em 23 de abril (198 mortes). Os óbitos registrados sábado, 20 de novembro e domingo, 21 de novembro, são os mais baixos desde 22 de abril (167). Nos últimos 14 dias, houve um recuo de 15,1% na média de óbitos no país. Em relação ao ápice da pandemia, em 12 de abril, quando houve 3.124 mortes, a média caiu 93,7%.

Por mais que os números sejam animadores, não há por que se precipitar, pular etapas e correr o risco de recirculação intensa do vírus agora que a vacinação avança.

A vida é mais importante, por isso continue fazendo sua parte seguindo os protocolos de segurança.

Texto: João Sibirino

Adaptação: Jornal Minuano